Inadimplência: os maiores erros para não se cometer

A inadimplência fecha muitas portas. Ter o nome limpo é o passaporte que qualquer pessoa precisa ter para conseguir comprar um carro ou até mesmo pedir um cartão de crédito ao banco.

Segundo pesquisas, 25% dos casos de inadimplência são causados por descontrole financeiro, representando a segunda maior causa de nome sujos. Será que não seria possível evitar chegar a este ponto? Gastar demais é apenas um dos erros que levam alguém para o cadastro de maus pagadores. A boa notícia é que eles são evitáveis. Quem conta quais são os principais equívocos e como se livrar deles é Flávio Calife, economista da Boa Vista SCPC.

Emprestar seu nome

Ceder o seu cartão de crédito ou pedir um empréstimo para uma amiga pode lhe colocar em uma enrascada. Para se ter ideia, 15% dos inadimplentes estão nessa situação porque fizeram isso, de acordo com o Boa Vista SCPC. Pense que, se as instituições financeiras acharam que ela é uma má pagadora, as chances de você levar um calote são grandes. “Quando isso acontece, todo e qualquer ônus, inclusive o risco de ter o nome sujo, cai sobre quem emprestou o nome”, diz Calife.

Emprestar dinheiro para parentes e amigos

É necessário saber que as chances de não receber sua grana de volta são grandes, afinal, essa pessoa pode já estar devendo por aí. Sem dinheiro, quem pode se enroscar nas próprias contas – e acabar inadimplente – é você. “O pior a respeito destes empréstimos a pessoas próximas é que não há contrato ou regras, tudo é feito na base da confiança”, aponta.

Inadimplência: evite ser fiador

Não quer dizer que seja proibido ser fiador.  Ter alguém para arcar, caso o contratante não cumpra suas responsabilidades, é exigido em muitas situações. Um exemplo recorrente é a locação de imóveis. Para Calife, o melhor remédio para se prevenir de cair nesta cilada é conhecer bem a pessoa que pediu o favor. Assim, se você souber que há a possibilidade de calote, é melhor já dizer não e evitar um possível estresse no futuro.

Pedir empréstimo sem refletir

É preciso analisar muitos fatores antes de tomar crédito. O primeiro é pensar se você realmente conseguirá pagar essa dívida. “É preciso se planejar, ver em quantas parcelas irá quitar o débito e o quanto vai comprometer sua renda”, aconselha. Lembrando que existem diversas possibilidades de empréstimo no mercado – e escolher a primeira sem refletir pode ser seu passaporte para a lista de maus pagadores. Os pré-aprovados, por exemplo, costumam ser mais caros, assim como o rotativo do cartão de crédito e cheque especial. Pesquise as taxas e condições em diversas instituições financeiras antes de tomar sua decisão.

Abusar do cheque especial e rotativo do cartão de crédito

Falando em empréstimos, essas modalidades são um verdadeiro poço sem fundo para quem não toma cuidado. Elas possuem juros elevadíssimos que fazem essas dívidas se multiplicarem rapidamente. E se você não der conta de pagar tudo, pode acabar com o nome sujo. As taxas de juros do cartão de crédito e cheque especial bateram, respectivamente, 475,8% e 328,9% ao ano em outubro. Para Calife, o cheque especial é uma ferramenta interessante quando, por exemplo, você precisa bancar um pequeno gasto, mas cobrirá o negativo no dia seguinte. “O grande problema é quando ele e o cartão de crédito viram extensão da renda. Antes de usar qualquer uma dessas modalidades de crédito, saiba que seus custos são elevados e use-as com consciência”, aconselha.

Via financasfemininas.uol.com.br

Deixe uma resposta