Brasileiro deve gastar menos no Dia das Mães, revela pesquisa

Brasileiro deve gastar menos no Dia das Mães, revela pesquisa
Levantamento realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que quase metade (47,5%) dos consumidores pretende gastar menos com o presente do Dia das Mães neste ano na comparação com 2015. A pesquisa foi realizada entre 14 e 25 de abril com 613 pessoas.

De acordo com as entidades, o desemprego foi apontado como principal razão para redução dos gastos, por 24,8% dos entrevistados. Outros motivos também foram citados, como o endividamento (21%) e a necessidade de economizar (16,6%).

O Dia das Mães é a segunda data mais importante para o varejo em volume de vendas e faturamento, ficando atrás apenas do Natal.

“Com o crédito mais restrito, a inflação elevada e as taxas de juros cada vez mais altas, o consumidor tem seu poder de compra reduzido e uma das principais medidas para salvar as finanças acaba sendo o corte de gastos”, avaliou o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

De acordo com o levantamento, os entrevistados têm sentido no dia a dia a alta da inflação: 70,5% têm a impressão de que os produtos estão mais caros em 2016; 20,5% acreditam que os presentes estão na mesma faixa de preço, e para apenas 8,9% estão mais baratos.

Valor médio do presente deve ser de R$ 93,55

De acordo com a pesquisa, o valor médio do gasto pretendido entre os consumidores que sabem o quanto irão gastar é de R$ 93,55 com cada presente. Porém, 38,3% dos entrevistados ainda não sabe ou não decidiu o valor da compra do Dia das Mães.

“Quatro em cada dez (38,8%) entrevistados disseram que irão gastar até R$ 100,00; 12,5% entre R$101,00 e R$200,00 e 10,3% acreditam que gastarão mais de R$200,00 com cada presente na data comemorativa”, acrescentaram a CNDL e o SPC Brasil.

Segundo o levantamento, as roupas lideram as preferências entre quem pretende presentear no Dia das Mães em 2016 (37%), seguidas dos perfumes (29,1%) e calçados (17,5%).

Pagamento à vista em dinheiro

O pagamento do presente à vista em dinheiro destaca-se como a principal modalidade utilizada pelos consumidores (58,7%), bem à frente do cartão de crédito parcelado (19,2%) e do cartão de crédito à vista (11,2%).

“Em tempos de crise econômica, em que as pessoas se veem obrigadas a cortar despesas para driblar a inflação e estão menos seguras em seus empregos, o ideal é evitar o abuso de parcelamentos e realizar todos os pagamentos a vista”, avaliou a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Via g1.globo.com

Deixe uma resposta