As 10 habilidades no trabalho mais procuradas no mundo, segundo o LinkedIn

Há certas capacidades que pessoas podem aplicar em diferentes áreas de trabalho; habilidade que lidera ranking do LinkedIn este ano pode ser usada por advogados, banqueiros e qualquer profissional que use informações digitais.

Há uma década, surgiu uma tecnologia associada a criptomoedas que poucos entendiam e aparentemente tinha um alcance limitado. Nada mais longe da realidade. Mas o blockchain ganhou tanta força que agora se tornou essencial.

Blockchain é uma espécie de livro contábil digital público que registra transações e informações de maneira verificável e permanente, o blockchain requer profissionais especializados que possam lidar com isso. E adivinhe quem são os profissionais mais em demanda no mundo: os especialistas em blockchain, de acordo com uma análise da plataforma profissional LinkedIn.

As habilidades de trabalho desses profissionais estão sendo usadas em inúmeras áreas — serviços financeiros, setor jurídico, energia, saúde, agricultura e até no varejo. Basicamente, são profissionais com a capacidade de armazenar, validar, autorizar e mover dados pela internet usando essa tecnologia.

E esta área não está aberta apenas para os codificadores.

Como o blockchain é usado em contratos, é provável que seja necessário que equipes de advogados especialistas em tecnologia analisem as complexidades de como as cadeias de blocos se encaixam no direito contratual tradicional.

Até o Fórum Econômico Mundial (WEF, na sigla em inglês) incluiu “especialistas em blockchain” em uma lista de profissões cuja importância aumentará nos próximos quatro anos. É a primeira vez que esses profissionais ficam no topo da lista de habilidades profissionais do LinkedIn.

A empresa mediu a demanda por mão de obra observando os perfis de seus usuários para determinar a frequência com que as pessoas eram contratadas de acordo com suas habilidades.

A seguir, as 10 habilidades (ou conhecimentos) mais procuradas no mundo:

Gerenciamento de blockchain;
Computação na nuvem: a tecnologia que permite armazenar e gerenciar dados na internet. Envolve a arquitetura, design e entrega de sistemas em nuvem;
Raciocínio analítico: a capacidade de interpretar dados e descobrir ideias que ajudem a tomar decisões de negócios;
Inteligência artificial: a combinação de algoritmos para máquinas desenvolverem capacidades semelhantes às do ser humano;
Design UX (Experiência do usuário): design com foco na experiência dos usuários do produto, em particular na tecnologia;
Análise comercial;
Marketing;
Vendas;
Computação científica;
Produção de vídeo.

Na área de “soft skills”, relacionada à capacidade dos trabalhadores em estabelecer relacionamentos, a criatividade ficou no topo da lista.

No entanto, a inteligência emocional subiu para o “top 5”, entendida como a capacidade de perceber, avaliar e responder aos colegas. Em ordem decrescente, os mais importantes são: criatividade, persuasão, colaboração, adaptabilidade e inteligência emocional.

Via G1

Deixe uma resposta