2 em cada 3 brasileiros pretendem cortar gastos com viagem, diz estudo

2 em cada 3 brasileiros pretendem cortar gastos com viagem, diz estudo

Dois em cada três brasileiros pretendem cortar gastos com viagem nos próximos meses, segundo pesquisa da Ipsos. Apesar do dinheiro mais curto, 64% dos entrevistados afirmam que fazem planos de visitar algum destino entre junho e setembro deste ano.

O estudo foi realizado a pedido da Europ Assistance com oito países, incluindo o Brasil. A Ipsos realizou 750 entrevistas no Brasil por meio de painel online entre março e maio de 2016. Os demais países pesquisados foram França, Alemanha, Itália, Espanha, Bélgica, Áustria e Estados Unidos. A margem de erro é de 3.6 pontos percentuais.

O percentual de brasileiros que pretende viajar (64%) é maior que o de entrevistados europeus (54%) e americanos (61%). Mas o orçamento médio dos brasileiros é o menor entre todos os países pesquisados: R$ 1.212 (cerca de € 335) é o gasto médio dos brasileiros para viagens no período, contra € 2.247 planejado, em média, pelos europeus.

Segundo o levantamento, viagens nacionais devem ser a opção preferida de 47% dos brasileiros. Já para os que desejam viajar para o exterior a opção preferida é os Estados Unidos.

Zika e terrorismo
Ao considerar o destino de viagem, os brasileiros se mostraram os mais preocupados com a presença do Zika vírus entre os 8 países analisados. De acordo com o levantamento, 54% dos entrevistados no Brasil consideram o risco de infecção pela doença um elemento “essencial” para a viagem.
Entre americanos e europeus, 20% e 25%, respectivamente, afirmaram considerar o risco de infecção na hora de planejar a viagem de férias. A Espanha se mostrou mais preocupada, com um terço dos pesquisados (34%) atento à doença.

Outro grande temor dos viajantes nos próximos meses é quanto a ataques terroristas. Para brasileiros e norte-americanos, a França é um destino a ser evitado. Para os europeus, mais sensíveis a esse risco, a Turquia aparece como o destino com maior risco de ataques.

Via g1.globo.com

Deixe uma resposta